15/08/2006

Quando o amor se agiganta


É tão doce a sensação do amor.
Acordar pela manhã com um beijo
que nos faz voluntários reféns
de um sorriso bailarino.
Ter os olhos incandescentes de auroras
e barrigas-cheias de palavras nos beirais do peito.
Fundir umbigos como quem oferece a alma
e partilhar a floresta dos cheiros e do toque.
Gostar de adormecer e acordar
com as mesmas pestanas à frente
e pensar que vai ser assim... para sempre.

1 comentário:

a.lenda.de.despereaux disse...

e logo tu que és uma pestanuda linda.